Conheça 8 pontos importantes antes de se registrar no pix

O recém anunciado sistema automático de pagamento do Banco Central, Pix, lançou uma lista oficial para cadastro. Essa é a primeira fase do sistema que promete mudar a forma como as instituições financeiras trabalham. O funcionamento efetivo será dia 16 de novembro. Saiba, antes disso, as principais informações que você precisa saber do antes de se cadastrar.

Usuários de qualquer banco cadastrado no sistema poderão realizar transferências e pagamentos a todo momento, até fora do horário de funcionamento dos bancos. Apenas será necessário ter a chave da pessoa, que pode ser o número de celular, cpf ou email.

Atualmente mais de 677 bancos, fintechs e cooperativas já aderiram ao Pix e atualmente estão realizando cadastros das chaves dos seus clientes.

1- Quando terá começo o PIX?

O primeiro estágio, que é o cadastro das chaves, teve começo dia 5. Já a fase de início do programa em si será 16 de novembro.

2- Como realizar o cadastramento das chaves?

Realizar o cadastramento da chave de identificação é muito simples, é necessário apenas acessar o app do banco onde você tem sua conta, vá até a opção Pix e realize o registro associando número de celular, e-mail, CPF/CNPJ, ou um EVP, também é possível criar uma sequência que vai tornar possível criar um QR Code. É uma forma mais segura de evitar que seus dados sejam compartilhados com desconhecidos.

Essas informações vão estar em uma plataforma controlada pelo Banco Central, o Diretório Identificador de Contas Transacionais (CICT).

3- Como será o funcionamento?

Como o pix terá a oportunidade de operar em qualquer momento. todas as operações de transferências e pagamentos vão cair na conta de quem estará receber os valores. 

No momento o dinheiro só cai no mesmo momento em operações no mesmo banco, ou em contas digitais, nos outros casos, os usuários ficam dependendo da transferência eletrônica disponível (TED), que leva duas horas para ser compensada, ou o documento de ordem de crédito (DOC), liquidado apenas no dia útil seguinte.

Outra possibilidade é realizar as operações usando o QR code, ou dependendo da sua chave que estiver registrada (celular, e-mail, CPF/CNPJ, ou EVP).

4- Precisarei ter conta no banco pra usa o pix?

De acordo com o Banco Central, não é preciso ter conta em banco para fazer transferências. É apenas necessário ter o dinheiro na carteira digital do Pix – que vai atuar como uma conta digital – que vai ter como objetivo o envio e recebimento de dinheiro.

5- Qual será o valor da transferência e pagamento?

Não haverá nenhuma cobrança neste primeiro momento, as instituições bancárias estão proibidas de realizarem cobranças tarifas para pessoas físicas e MEIs. O Banco Central manteve em aberto a possibilidade de que cobranças de tarifas sejam feitas no caso de operações envolvendo pessoas jurídicas, mas isso vai depender dos bancos.

6- É possível registrar as chaves em outros bancos?

De acordo com o Banco Central, pessoas físicas poderão ter 5 chaves para cada conta do qual forem titulares, já pessoas jurídicas poderão ter até 20 chaves para cada conta do qual forem titular

7- Vai ter um limite de valor?

A princípio não, entretanto os bancos poderão criar um valor máximo para pagamentos e transferências como forma de baixar os riscos de fraudes. A tendência é que os bancos sigam os critérios estabelecidos em operações TED e DOC.

8- Que vantagens vou ter com o Pix?

O Pix dá mais ênfase no que já tem acontecido com bancos digitais e transferências entre contas da mesma instituição, que é a agilidade com quem os valores são recebidos. O Pix acaba com necessidade aguardar expedientes bancário para receberem dinheiro.

Outro ponto é que não existem cobranças de valores adicionais, como no sistema TED e DOC.

Fonte: istoédinheiro fotos: mercadoeconsumo

Anúncio

Faça seu vale-refeição chegar até o final do mês com essas 10 dicas do cartão Sodexo

Muitas pessoas sentem dificuldades ao tentar esticar o vale-refeição após o dia 15. Com dicas básicas, você pode mudar isso.

Mais de um terço das pessoas (38%) não conseguem fazer o crédito do vale-refeição se estender por todo o mês, conforme o Serasa. O segredo não está no quanto vale o cartão, mas em como ele é aplicado.

1. Faça as contas

Saber o quanto está no cartão Sodexo e a quantidade média que pode ser gasta por dia é essencial. Isto aparecerá na declaração do vale de refeição do Clube Sodexo. Para consultá-lo, o cliente deve fazer o download do aplicativo e seguir o andamento detalhado da refeição beneficente.

2. O VR é uma parte do orçamento

Muitas pessoas encaram o crédito do cartão de refeição como sendo dinheiro extra, mas o valor do benefício deve ser adicionado ao orçamento mensal. É fundamental controlar e planejar o uso, da mesma maneira como é feito com o salário. Quanto mais organizado for, mais o vale-refeição irá render.

3. Fique atendo ao equilíbrio

É importante monitorar se ele está dentro do limite diário ou extrapolado. O aplicativo Sodexo possibilita fácil acesso aos extratos do cartão utilizando o telefone celular. A verificação do saldo dos cheques-almoço é muito fácil e rápida.

4. Procura por restaurantes mais baratos

Correr pela vizinhança fazendo comparação de preços pode ajudar a fazer com que o saldo do cartão se prolongue por mais tempo, de modo que o consumidor esteja ligado ao preço médio para comer em locais fora na região de trabalho. Uma dica: a Sodexo oferece a consulta aos restaurantes e lanchonetes mais próximos que aceitam o comprovante no local e no aplicativo.

5. Fique ligado com o prato de quilo

Os pratos nos restaurantes por quilo são grandes para que o consumidor consiga mais comida e gaste mais. Há também uma chance maior de desperdício de comida.

6. É melhor deixar a bebida de acompanhamento de lado

Se o refrigerante custar R$ 5 e existir uma média de R$ 25 por dia para gastar com o cartão vale refeição, o consumidor terá 20% menos para gastar com comida. Isto representa 5 dias a menos com o VR no final do mês.

7. Leve seus próprios petiscos

Todos adoram comer um doce depois do almoço ou um salgado no meio da tarde. Mas é muito importante saber que estes itens são muito mais caros na caixa da lanchonete. É mais econômico comprá-los antes no mercado e trazê-los de casa.

8. Comer entre as refeições

A lógica é simples: se a pessoa ficar várias horas sem comer, ao sair para almoçar, você estará faminto. E então você vai consumir mais do que o normal e gastar muito mais créditos VR. A dica é aproveitar o selo alimentar para comprar petiscos saudáveis no mercado e comê-los a cada duas ou três horas.

9. Tire proveito das ofertas

Vários restaurantes têm descontos ou pratos mais baratos em determinados dias da semana. É possível ficar por dentro destas ofertas com o Sodexo Club, um clube de vantagens com várias promoções e descontos exclusivos para usar o vale-refeição.

10. A lealdade vale a pena?

Diversos restaurantes normalmente recompensam seus clientes habituais com sobremesas ou refeições de graça, até mesmo para aqueles que pagam com vale-refeição. No entanto, antes de entrar em um desses programas, o consumidor precisa fazer as contas se realmente vale a pena, calculando quanto gastaria com o consumo e o valor da recompensa.

fonte: Sodexo foto: moneytimes/catracalivre

Anúncio
Anúncio